Microsoft Certified Solutions Associate & Expert – SQL Server 2016

Pessoal, recentemente finalizei a carreira de certificações (por enquanto) em SQL Server. Gostaria de através desse post compartilhar com vocês como está atualmente a carreira de certificações da Microsoft, com relação à plataforma de dados, e também dar algumas dicas de como vocês podem também alcançar um ou vários dos titulo de Microsoft Certified Professional.


Carreira de certificações atual (MCSA SQL 2016)

No que diz respeito ao SQL Server 2012/2014, a carreira de certificações se resumia a apenas uma onde, para conseguir o título de Microsoft Certified Solutions Associate, era necessário realizar 3 provas onde, em cada uma delas, eram medidos conhecimentos em três áreas diferentes: Desenvolvimento (Exame 70-461), Administração (Exame 70-462) e Desenvolvimento de Ambientes de BI (Exame 70-463).

Conseguir adquirir essa certificação não era tarefa fácil pois demandava do candidato conhecimentos profundos de 3 assuntos totalmente distintos.

Atualmente, no SQL Server 2016, a Microsoft mudou um pouco a maneira de pensar com relação à carreira de certificações e dividiu o MCSA em três trilhas diferentes. São elas:

  • MCSA SQL 2016 | Database Development – Esse título é adquirido pelo candidato que for bem sucedido nos exames 70-761 – Querying Data with Transact-SQL e 70-762 – Developing SQL Databases.
  • MCSA SQL 2016 | Database Administration – Esse título é adquirido pelo candidato que for bem sucedido nos exames 70-764 – Administering a SQL Database Infrastructure e 70-765 – Provisioning SQL Databases.
  • MCSA SQL 2016 | BI Development – Esse título é adquirido pelo candidato que for bem sucedido nos exames 70-767 – Implementing a SQL Data Warehouse e 70-768 – Developing SQL Data Models.

Impressões sobre as provas (MCSA SQL 2016)

            

Quando iniciei a jornada de certificações da plataforma do SQL Server 2016 eu já possuía o título de SQL Server MCSA 2012/2014 e, por isso, não houve a necessidade de que eu realizasse os 6 exames para conquistar cada um dos 3 títulos do MCSA do SQL Server 2016 pois, cada uma das 3 provas substitui a primeira prova (70-761, 70-764 e 70-767) do novo ciclo.

Essa substituição ocorre pelo simples fato de que o conteúdo estudado para as 3 provas do SQL Server 2014 é praticamente o mesmo que para a primeira prova de cada uma das novas carreiras. com base nisso, leiam:

Agora, quanto aos outros 3 exames, seguem abaixo minhas impressões:

  • Exame 70-762 – Developing SQL Databases – Esse exame é o segundo da trilha para MCSA em Desenvolvimento. Realizei essa prova quando estava em período BETA. foram em torno de 63 questões (Atualmente não deve passar de 45) onde os principais assuntos cobrados estão relacionados à identificação e solução de problemas relacionados tratamento de exceções em queryes, identificação e tratamento de Locks e Deadlocks e os demais assuntos relacionados à segurança de objetos, utilização de triggers e views para abstração de banco de dados físico na aplicação dentre outros.
  • Exame 70-765 – Provisioning SQL Databases – Esse exame é o segundo da trilha para MCSA em Administração de ambientes de bancos de dados em SQL Server. Também realizei esse exame em caráter BETA e, não se enganem, AZURE é o tema dessa prova. Dentre os assuntos mais cobrados estão: Identificar qual o melhor caminho para criação de uma infraestrutura no AZURE (Infrastructure as a Services [IaaS] ou Platform as a Services [PaaS]), como identificar o melhor tipo de Tier para Azure SQL Database com base nas possibilidades disponíveis em cada um deles, Como realizar Backup e Restore no ambiente Cloud, configuração do ambiente de dados do SQL Server em VMs no AZURE dentre outros.
  • Exame 70-768 – Developing SQL Data Models – Esse exame é o segundo da trilha para MCSA em Business Intelligence com a plataforma do SQL Server 2016. Esse exame é unica e exclusivamente relacionado ao SQL Server Analysis Services. Dentre outros assuntos, os mais cobrados são: Qual modelo (Multidimensional ou Tabular) usar dependendo dos requisitos fornecidos, Como desenvolver KPIs e Campos Calculados com MDX e DAX, Como ocultar dos usuários finais colunas e tabelas em ambos os modelos, Como otimizar cubos multidimensionais através de relacionamentos entre atributos, qual tipo de armazenamento utilizar em ambos os modelos (MOLAP/ROLAP x InMemory/DirectQuery) dentre outros.

    Carreira de certificações atual (MCSE SQL 2016)

Anteriormente existiam duas carreiras para se tornar um Expert nas soluções da plataforma de dados do SQL Server. Era possível se tornar Solutions Expert em Data Platform (Exame 70-464 e Exame 70-465) ou em Business Intelligence (Exame 70-466 e Exame 70-467).

Atualmente, essas duas certificações foram descontinuadas. Existe epenas um título que pode ser adquirido. Ele se chama Microsoft Certified Solutions Expert in Data Management and Analytics. Para adquirir essa certificação basta que você possua uma das certificações em MCSA SQL 2016 (Desenvolvimento, Administração ou BI) e seja bem sucedido em um dos exames abaixo:

  1. Exame 70-473 – Designing and Implementing Cloud Data Platform Solutions – “Este exame foi criado para candidatos que estiverem interessados em confirmar suas habilidades em projetar e implementar soluções de plataforma de dados da Microsoft. Os candidatos deste exame devem ter experiência relevante de trabalho em soluções de plataforma locais e baseadas em nuvem.”
  2. Exame 70-475 – Designing and Implementing Big Data Analytics Solutions – “Este exame de certificação destina-se a profissionais de gerenciamento de dados, arquitetos de dados, cientistas de dados e desenvolvedores de dados que criam soluções de análise para Big Data no Microsoft Azure. Os candidatos deste exame devem ter experiência relevante de trabalho em soluções de análise de Big Data.”
  3. Exame 70-464 – Developing Microsoft SQL Server Databases – “Este exame se destina a profissionais de banco de dados que compilam e implementam bancos de dados em várias organizações e garantem níveis elevados de disponibilidade de dados. Entre suas responsabilidades estão criar arquivos de banco de dados, tipos de dados e tabelas; planejar, criar e otimizar índices; garantir integridade de dados; implementar exibições, procedimentos armazenados e funções; e gerenciar transações e bloqueios.”
  4. Exame 70-465 – Designing Database Solutions for Microsoft SQL Server – “Este exame é destinado a profissionais de banco de dados que projetam e compilam soluções de banco de dados na organização. Eles são responsáveis pela criação de planos e projetos para estrutura, armazenamento, objetos e servidores de banco de dados. Eles criam o plano para o ambiente em que a solução de banco de dados é executada.”
  5. Exame 70-466 – Implementing Data Models and Reports with Microsoft SQL Server – “Este exame é destinado a desenvolvedores de Business Intelligence (BI) com foco na criação de soluções de BI que exigem implementar modelos de dados multidimensionais, implementar e manter cubos OLAP e criar exibições de informações usadas na tomada de decisão de negócios.”
  6. Exame 70-467 – Designing Business Intelligence Solutions with Microsoft SQL Server – “Este exame é destinado a arquitetos de Business Intelligence (BI), que são responsáveis pelo projeto geral de uma infraestrutura de BI e pelo modo como esta se relaciona com outros sistemas de dados em uso.”

    Impressões sobre as provas (MCSE SQL 2016)

Para adquirir a certificação de MCSE em SQL Server 2016 realizei primeiramente o Exame 70-466 e em seguida o exame 70-767 ( não que esse fosse necessário mas decidi o fazer pois os dois exames eram necessários para a carreira de MCSE de Business Intelligence).

  • Exame 70-466 – Implementing Data Models and Reports with Microsoft SQL Server – Esse exame é muito parecido com a segunda prova necessária para o MCSA em BI do SQL Server 2016 (Exame 70-768). A diferença entre eles é que, neste, conhecimentos em Reporting Services são necessários. Dentre eles: saber que componentes usar dependendo do tipo de análise solicitada, saber quais permissões usar exatamente dependendo da necessidade, como realizar migrações de ambiente em situações de disaster/recovery, dentre outros.
  • Exame 70-467 – Designing Business Intelligence Solutions with Microsoft SQL Server – Esse exame foi o MAIS DIFÍCIL que já realizei. Ele não exige simplesmente que saiba-se construir, desde modelos Dimensionais (Kimball x Immon) em SQL Server, Projetos de Integração de Dados com Integration Services, Projetos de Cubos Tabulares e/ou Multidimensionais e projetos de Reporting Services em modo Nativo e/ou integrados com sharepoint, mas também o que é MELHOR dentre as várias opções disponibilizadas. Outros assuntos abordados também são cubos dentro do Power Pivot (e como importá-los para um modelo Tabular dentro do SSAS) e análises dentro do Power View (Ainda não encontramos aqui Mobile Report e Power BI).

Como se preparar – Material para Estudo

Essa área do post se dedica às pessoas que querem aprender o conteúdo necessário para se tornarem Microsoft Certified Solutions Associate / Solutions Expert em SQL Server 2016. Abaixo seguem os livros e materiais que utilizei para conseguir ser bem sucedido em todos esses exames os quais listei.

  • Para os exames relacionados a desenvolvimento de SQL Server (70-461, 70-761, 70-762 e 70-464) aconselho o estudo APROFUNDADO do livro Querying Microsoft® SQL Server® 2012 Exam 70-461 Training Kit.
  • Para os exames relacionados a administração de ambiente em SQL Server (70-462, 70-764 e 70-465) aconselho também o estudo aprofundado dos livros Training Kit Exam 70-462: Administering Microsoft® SQL Sever® 2012 DatabasesProfessional Microsoft SQL Server 2014 Administration. Em se tratando de alta disponibilidade com AlwaysOn FCI aconselho o livro SQL Server 2014 – Alta Disponibilidade na Prática Com Alwayson Failover Cluster Instances e para AlwaysOn AG a documentação no link.
  • Para estudos relacionados a AZURE (70-765 e 70-473) aconselho o estudo através das documentações (Não há muito conteúdo em livros ainda sobre o assunto).
  • Para os exames relacionados à Business Intelligence (70-463, 70-767, 70-768, 70-466 e 70-767) não existe melhor fonte, na minha opinião, que estudar profundamente os livros: The Data Warehouse Toolkit (Para modelagem), Professional Microsoft SQL Server 2014 Integration Services (Para Integração de Dados), Professional Microsoft SQL Server 2012 Analysis Services with MDX and DAX (Envolve todo o conteúdo OLAP da plataforma do SQL Server + dicas avançadas de performance e troubleshoot + conteúdo para desenvolvimento de códigos em Multidimensional Expression [MDX] e Data Analysis Expression [DAX]) e o Professional Microsoft SQL Server 2016 Reporting Services and Mobile Reports (Todo o conteúdo de Reporting Services com o Adicional do Mobile Report [Ainda não cobrado para os exames]).

    Espero poder conseguir ajudá-los e desejo que todos tenham sucesso nos exames.

Facebook Page – Data’s Light

Pessoal, venho através deste post comunicar a vocês a criação da minha página no Facebook.

Nela pretendo manter informações, posts e vídeos sobre eventos, novidades e novos posts sobre conhecimentos técnicos.

Peço a vocês que deem o Like e Sigam para que assim consigamos continuar aprendendo e trocando informações juntos.

Grande abraço!

Atenciosamente,

Arthur Luz | Data’s Light.

Auto Refresh – SSRS KPIs

Dentro do Reporting Services 2016 foi adicionado um recurso herdado do Microsoft Datazen que é bastante útil e querido por todos que tenho visto usando a nova plataforma de relatórios: os KPIs.

Bom, um “problema” que recentemente descobri após o questionamento de um cliente em um projeto foi o fato de, diferente do Datazen, os KPIs do SSRS não estavam tendo os dados atualizados automaticamente quando o dado era alterado dentro da origem. Somente se o Data Set fosse atualizado que a alteração de dados era refletida na interface gráfica do Key Performance Indicator no painel do Reporting Services.

Ao realizar uma análise sobre o “Erro”, percebi que, na verdade, isso é algo By Default do recurso. Para que seja possível o auto update, é necessário que antes seja configurado ao Data Set um recurso denominado de Cache Refresh Plan. Abaixo você aprenderá como realizar a configuração.


Para os testes estou usando uma instancia de SQL Server 2016. O banco de dados será o AdventureWorksDW2014. Para que possamos iniciar os testes, crie primeiramente dois Data Sets usando as queryes abaixo (subentende-se que você tem o domínio para efetuar a criação desses objetos):

-- Para criação do Data Set denominado KPI 1
SELECT [Value],
 [Goal],
 CASE WHEN [Value] > [Goal]
 THEN 1 
 WHEN [Value] < [Goal]
 THEN -1
 ELSE 0 END [Status]
FROM (
 SELECT SUM(CASE WHEN dst.SalesTerritoryCountry = 'Germany' 
 THEN CONVERT(INT,f.UnitPrice) 
 ELSE 0 END) AS [Value],
 SUM(CASE WHEN dst.SalesTerritoryCountry = 'Canada' 
 THEN CONVERT(INT,f.UnitPrice) 
 ELSE 0 END) AS [Goal]
 FROM FactInternetSales f 
 JOIN DimProduct dp ON dp.ProductKey = f.ProductKey 
 JOIN DimCustomer dc ON dc.CustomerKey = f.CustomerKey 
 JOIN DimSalesTerritory dst ON dst.SalesTerritoryKey = f.SalesTerritoryKey 
 JOIN DimDate dod ON dod.DateKey = f.OrderDateKey
 AND dod.EnglishMonthName = 'January'
 AND dod.DayNumberOfMonth = 31
) AS Query_KPI

-- Para criação do Data Set denominado KPI 2
SELECT SUM(Germany) - SUM(Canada) [TrendSet]
FROM (
 SELECT TOP 1000000
 dod.DayNumberOfMonth AS Dia,
 CASE WHEN dst.SalesTerritoryCountry = 'Germany' 
 THEN SUM(CONVERT(INT,f.UnitPrice)) 
 ELSE 0 END AS Germany,
 CASE WHEN dst.SalesTerritoryCountry = 'Canada'
 THEN SUM(CONVERT(INT,f.UnitPrice)) 
 ELSE 0 END AS Canada
 FROM FactInternetSales f 
 JOIN DimProduct dp ON dp.ProductKey = f.ProductKey 
 JOIN DimCustomer dc ON dc.CustomerKey = f.CustomerKey 
 JOIN DimSalesTerritory dst ON dst.SalesTerritoryKey = f.SalesTerritoryKey 
 JOIN DimDate dod ON dod.DateKey = f.OrderDateKey
 WHERE dst.SalesTerritoryCountry IN ('Germany','Canada')
 AND dod.EnglishMonthName = 'January'
 GROUP BY dod.DayNumberOfMonth, 
 dst.SalesTerritoryCountry
 ORDER BY dod.DayNumberOfMonth
) TrendSet
GROUP BY Dia

Feito isso, crie um KPI usando os dados dos dois Data Sets criados no passo anterior, seguindo o preenchimento dos campos de acordo com a imagem abaixo:

Ok. Feito isso, é necessário agora que, através do script abaixo, você altere os dados da tabela de Fato de vendas na internet da base de dados do Adventure Works para que seja possível realizarmos a configuração de auto refresh do SSRS.

BEGIN TRANSACTION
GO

UPDATE f
SET UnitPrice = 1008.99
FROM FactInternetSales AS f
JOIN DimProduct dp ON dp.ProductKey = f.ProductKey 
 JOIN DimCustomer dc ON dc.CustomerKey = f.CustomerKey 
 JOIN DimSalesTerritory dst ON dst.SalesTerritoryKey = f.SalesTerritoryKey 
 JOIN DimDate dod ON dod.DateKey = f.OrderDateKey
 AND dod.EnglishMonthName = 'January'
 AND dod.DayNumberOfMonth = 31
WHERE dst.SalesTerritoryCountry = 'Canada'
 AND UnitPrice = 8.99
GO

COMMIT TRANSACTION
GO

Observe agora que mesmo realizando refreshs na pagina os dados do KPI criado não tem as informações alteradas na apresentação. Para que isso seja possível, será necessário realizar uma configuração de auto refresh nos Data Sets que foram criados.

Primeiramente, vá até a pasta de nome DATASETS (criada automaticamente no deploy de projeto através do SSDT) e selecione o primeiro objeto (KPI 1). Na janela de configuração que irá abrir selecione no canto esquerdo a aba Caching.

Feito isso, Selecione a opção Cache copies of this dataset and use them when available. Isso irá fazer com o que o Reporting Services armazene de tempos em tempos um cache dos dados na memória do server.

É possível configurar uma ou mais agendas no servidor do SSRS para ser usada em um ou mais Data Sets, porém, para efeitos de testes, você irá configurar 1 minuto na primeira opção conforme a imagem abaixo:

Uma nova opção abaixo é habilitada: Cache Refresh Plan. Clique em Manage refresh plan e, na nova nova janela de configuração, selecione a opção New cache refresh Plan.

Na nova janela, adicione uma descrição e após isso selecione a opção Edit schedule.

Agora você irá configurar a frequência de refresh. Selecione a opção Hour. Em Run the schedule every marque de 1 em 1 minuto e o início para a hora atual da configuração.

Agora, quando a página anterior for mostrada novamente, selecione Create cache refresh plan. Feito isso, Após um minuto da configuração, será possível realizar um refresh na pagina inicial e verificar um novo valor do KPI na pagina inicial do Reporting Services.

Um ponto importante sobre o auto refresh é que a instância em que o serviço do SSRS está funcionando precisa ter o Agent habilitado e em funcionamento pois, para realização do Auto Refresh, o SSRS usa um job do Agent.


Espero poder ajudar!

24 Hours Global PASS Portuguese – SSRS 2016

No último dia 15/11 participei de mais um evento da comunidade PASS denominado 24 Hours Global PASS Portuguese falando sobre as novidades do SQL Server Reporting Services 2016 e suas integrações com o antigo Microsoft Datazen e o Power BI Desktop e Cloud

O evento foi composto por uma série de 24 palestras durante 5 dias onde grandes nomes da comunidade Microsoft falaram sobre diversos assuntos dentre melhores práticas e novidades relacionadas a Cloud, Business Intelligence, SQL Server dentre outros. 

Agradeço grandemente à equipe do virtual PASS pela oportunidade de poder levar um pouco mais de conhecimento para frente. Isso tudo é muito gratificante e acredito poder falar, neste caso, por todos que participaram como palestrantes e moderadores no evento. 

Abaixo segue o vídeo da apresentação que fora gravada.  

Espero poder ajudá-los!

Critical Update & Cumulative Update 2 – Resolução de Problemas no SQL Server 2016

Pessoal, ao realizar alguns testes com o SQL Server 2016 encontrei alguns erros na versão que foram corrigidos com alguns hotfix de correção e gostaria de compartilhar com vocês para ajudá-los, caso tenham o mesmo problema.


Ao habilitar o Change Data Capture em uma tabela no SQL Server é possível que você selecione as colunas dessa tabela que irão ser tracked (receberão versionamento de dados).

Porém, ao tentar habilitar o CDC em uma tabela do SQL Server 2016, recebi o erro abaixo:

error_change_data_capture_sql_2016

Para resolução do problema, a Microsoft disponibilizou o Critical Update que pode ser baixado através do seguinte Link.


Ao tentar realizar o Pin dos Dashboards do Reporting Services 2016 em um Painel no Cloud (Power BI) recebi a seguinte mensagem de erro:

“You don’t have any dashboards. You need at least one dashboard that you have permissions to pin to.”

Após muito pesquisar verifiquei em um link do suporte da Microsoft que a resolução do problema fora realizada no Cumulative Update #1 da ferramenta. Para Download e mais informações sobre demais correções dos Cumulative Updates #1 e #2 acesse o Link Link respectivamente.

Espero poder ajudá-los!

Novidades – Microsoft Ignite 2016 [BI]

Vem novidades por aí!!

No Microsoft Ignite 2016 (evento que está acontecendo agora, dos dias 26-30 de Setembro) foi anunciado em primeira mão duas novidades, dentre outras, que com total certeza chamará muito a atenção de quem trabalha no mundo de BI e analytics da Microsoft. 

A primeira delas é que, em breve, muito em breve, será possível publicar os relatórios do Power BI tanto em ambiente cloud (como é realizado atualmente) quanto em ambiente On Premise usando o Report Server 2016

unnamed

Isso é excepcional, pois dessa maneira, será possível ter uma suite completa que atenderá todas as vertentes de atuação (Mobile, relatórios e self service) em ambiente cloud, híbrido e on premise

A outra novidade, também do Power BI, que chama muito a atenção é que agora será possível usar a tecnologia de mapas GIS para realizar análise geoespacial em camadas. Isso será possível graças à parceria da Microsoft com a empresa Esri, empresa líder nesse segmento. 

policyanalysisfocusedmaptheme

Para acompanhar na íntegra as novidades citadas acima, veja a sessão do ignite abaixo:

http://www.youtube.com/embed/KewX2SHaJGQ?start=2452

E vamos acompanhando a distância quais as outras novidades que a Microsoft nos trás para o mundo de Dadas, Cloud e Analytics. 

SSRS 2016 – Integração com o Datazen e Power BI (Cloud e Desktop)

Em Junho de 2016 finalmente a Microsoft disponibilizou a tão esperada release do SQL Server 2016 que desde o começo do ano estava em destaque pela grande quantidade de features e melhorias adicionadas.

Uma das maiores melhorias (na minha opinião) ocorreu na área de BI e Analytics da Microsoft, mais precisamente no SQL Server Report Services 2016. Esse post abordará algumas das melhorias da parte visual do SSRS 2016 e também sobre as integrações que a Microsoft realizou ao ao performar a soma: Report Services + Datazen + Power BI.


Primeiramente, antes de disponibilizar algumas demonstrações sobre a nova release da ferramenta, você poderá entender melhor sobre o Road Map do produto:

01
Ambiente On Premise (Integração com o Datazen).
02
Pin com ambiente Cloud do Power BI.

Através das imagens acima é possível entender algumas coisas muito importantes sobre a nova arquitetura. A principal delas é o fato de o Core Engine do Datazen ter sito totalmente integrado ao Report Services 2016.


Ferramentas

a) SQL Server Mobile Report Publisher – Usado para criação de Relatórios Mobile;

b) Power BI Desktop – Usado para criação de relatórios analíticos Self Services;

c) Report Builder / Data Tools – Usado para criação de relatórios paginados;


Nomeclaturas

a) Microsoft Datazen + Report Services => Report Services 2016;

b) Datazen Publisher => SQL Server Mobile Report Publisher;

c) Datazen Dashboards => Mobile Reports;

d) Datazen Data Sources => SSRS Data Connections;

e) Datazen Data Views => SSRS Data Sets;


Mudanças com relação ao Core Engine do Report Services

a) O painel de controle e acesso do Report Services 2016 foi melhorados consideravelmente. O inspiração para a mudança foi  o Microsoft Datazen. Agora muito mais moderno e também com o novo visual padrão do Office 365, Power BI Cloud e Painel Administrativo do Azure;

04

b) Renderização dos Reports agora é realizada em HTML 5 para acesso completo às funcionalidades do painel do SSRS. Acesse o Link para mais informações;

c) O visual dos relatórios paginados foi melhorado e está mais moderna e mais bonita (Muito parecida com a interface gráfica do Power BI);

2783.ssdt_vs_2015

d) Adição de dois novos tipos de visualização gráfica para os relatórios paginados: Tree Map e Sunburst Charts;

IC822804IC822810

e) Possibilidade de integrar via iFrame os paginated e mobile reports a outras paginas web (como exemplo, o sistema ou site da instituição);

f) Realização da renderização e export para Power Point;

IC854648

g) Substituição do ActiveX (que nas versões anteriores era necessário para realização de impressões dos relatórios) para tecnologia PDF o que permite um suporte mais abrangente com relação aos browsers de mercado;

h) Foram realizados alguns aprimoramentos com relação às possibilidades de Subscriptions do SSRS. Como por exemplo, agora é possível desabilitar e habilitar rapidamente as assinaturas. As assinaturas desabilitadas mantêm suas outras propriedades de configuração, como o cronograma, e podem ser facilmente habilitadas novamente;

i) A interface relacionada aos parâmetros personalizados dos relatórios paginados foi melhorada. Agora é possível arrastar um parâmetro para uma coluna e linha específica no painel de parâmetros. Você pode adicionar e remover colunas para alterar o layout do painel;

06

Integração com o Microsoft Datazen

a) A arquitetura em Hubs foi perdida. Porém, o funcionamento do SSRS ocorre através de diretórios o que permite uma melhora de controle de acesso e de organização de objetos com relação ao Datazen;

b) Por causa da perda da arquitetura em Hub ocorreu a única mudança que pode impactar de maneira negativa os atuais ambientes de Datazen (em situação de migração): Não é possível a configuração de brandings customizados por pastas como se fazia no Datazen por Hubs;

image468

c) É necessário usar os Data Sets e Data Connections do SSRS para criação dos Mobile Reports (nome dado aos objetos do Datazen dentro do SSRS 2016) ao invés dos Data Sources e Data Views criados no antigo Datazen Control Painel;

d) É possível, além da criação dos Dashboards Mobile (antigos Dashboards do Datazen) realizar a criação dos KPIs da mesma maneira como se realizava no Datazen, exceto pelo fato de que na Plataforma do Report Services, é necessário a utilização do dos Data Sets do SSRS ao invés de criar os Data Connections e Data Views como ocorria no Datazen;

e) Todas as funcionalidades relacionadas à Arquitetura Distribuída, Dashboard Runtime Mode e Cache de Data Views que existiam no Datazen existem atualmente usando a arquitetura do Report Services;

f) O que antes “não era executável” no Datazen com relação a controle e auditoria de acesso de usuários atualmente, graças à arquitetura do SSRS é completamente possível;

g) O acesso aos Mobile Reports em dispositivos móveis que antes, no Datazen, ocorriam através do aplicativo multi plataforma mobile Datazen Viewer agora, no SSRS 2016, ocorrerá através do app Mobile do Power BI. Existe a opção dentro do aplicativo de conexão ao Power BI ou a um servidor do Report Services 2016;

Integração com o Power BI (Cloud / Desktop)

 a) É possível realizar o PIN dos relatórios Paginated e Mobile Reports do SSRS 2016 dentro do portal web do Power BI. Para mais informações acesso o Link;

7838.pin_choose_item

3771.pin_dashboard

b) É possível realizar o upload dos relatórios do Power BI desktop e de relatórios do Excel para o Report Services 2016. Atualmente, esta integração ainda está incompleta pois o SSRS funcionaria, neste caso, apenas como um provedor destes arquivos para download. Ainda não é possível o acesso à esses relatórios no portal web. Porém, segundo a Microsoft, eles já estão trabalhando nessa possibilidade.

Capture


 Instalação

A instalação do Report Services 2016, como nas versões anteriores, é realizada através do SQL Server Installation Center. É possível realizar a instalação em modo nativo ou integrado ao Share Point.

Para realizar a instalação do SQL Server Data Tools é necessário ter o Visual Studio 2015 instalado. A arquitetura nessa parte continua a mesma da existente no SQL Server 2014. A novidade é que você encontra um link para download do Data Tools dentro da do Installation Center.

Ao concluir a instalação e realizar o acesso ao painel de controle do SSRS, será possível encontrar um link Para realizar a instalação do SQL Server Report Builder, SQL Server Mobile Report Publisher e Power BI Desktop.

03


Configurações e Log de Acesso

Para realizar as configurações no Report Services 2016 usa-se 0 Report Services Configuration Manager (exatamente como nas versões anteriores do SSRS).

As configurações de Data Sets (Data Views no Datazen) e Data Connections são realizadas através do Control Painel do SSRS 2016.

O log de acesso e demais informações relacionadas ao Report Services e seus objetos pode ser facilmente encontrado nas DMVs do banco de dados do SSRS 2016 localizado dentro do SQL Server. Isso não era possível facilmente dentro do Datazen pois o banco de dados usado para armazenamento de informações na ferramenta era o noSQL database RavenDB.


Outras novidades, observações e configurações sobre o Report Services 2016 serão compartilhadas por esta série de posts.